Instituições de planejamento divulgam Índice de Desenvolvimento Municipal

Tamanho da Letra

IDMO segundo dia do 5º Fórum de Presidentes e Dirigentes da Associação Nacional das Instituições de Planejamento, Pesquisa e Estatística (Anipes) foi marcado pela divulgação do Índice de Desenvolvimento dos Municípios (IDM-Anipes). O lançamento do estudo aconteceu em coletiva de imprensa na sede do Cofecon, em Brasília, nesta terça-feira (18).


O indicador é proveniente do trabalho em conjunto de diversas instituições estaduais de pesquisa coordenado pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade-SP). Os dados retratam a realidade dos 5.565 municípios brasileiros sob três dimensões: renda, saúde e educação. O desenvolvimento do Índice tem como objetivo subsidiar os governos locais na formulação de políticas públicas, além de tornar público um diagnóstico minucioso das cidades do País.


Considerando os indicadores sociais, que compreendem as áreas de saúde e educação, o Índice verifica que 26,1% dos municípios apresentam condições deficitárias, registrando baixos ou baixíssimos níveis de saúde e escolaridade. Outros 40,7% se encontram em patamar mediano, enquanto um terço possui bons índices. O melhor nível social é observado em Antônio Carlos-SC. Uma outra face se verifica em Alto Alegre-RR e Santa Luzia-BA, com indicadores bastante preocupantes.


Em relação à riqueza dos municípios, o maior grupo é o de cidades com nível muito baixo de renda (27%). Por outro lado, o grupo das cidades mais ricas, com renda considerada "muito alta", compreende apenas 14,6% dos municípios brasileiros. A cidade brasileira que registrou o menor índice de renda foi a maranhense São Raimundo do Doca Bezerra. E este não é um fato isolado. O estado do Maranhão possui nove das dez cidades mais pobres do País. Realidade inversa é constatada na cidade gaúcha de Triunfo, que registra a maior renda média do Brasil.

 

Acesse o IDM-Anipes completo
Leia a apresentação com os principais dados
Confira a metodologia do Índice

 

Além do lançamento do IDM-Anipes, o segundo e último dia do Fórum contou com outras duas apresentações. No período da manhã, a Secretaria de Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (STI/MP) relatou sua experiência com a Infraestrutura Nacional de Dados Abertos. Ao final da tarde, antes do encerramento do evento, o Instituto Mauro Borges (IMB-GO) apresentou a 12ª edição do Boletim de Estatísticas Públicas (BEP), documento técnico-científico voltado à discussão de questões relacionadas à produção, tratamento metodológico, análise e disseminação dos dados sociais, demográficos, econômicos e ambientais no Brasil.


 

* Assessor do Cofecon

(61) 3208-1803/ 99939-9879

Escrito por Júlio Poloni