Pause
  • 1

  • 2

  • 3

  • 4

Os principais desafios da economia brasileira serão discutidos por economistas de todo o Brasil no XXV Simpósio Nacional dos Conselhos de Economia – SINCE, que ocorrerá em Natal, de 31 de agosto a 3 de setembro, no Praiamar Natal Hotel & Convention. Ainda dá tempo de se inscrever: o valor é de R$ 150,00 para estudantes, R$ 300,00 para economistas e R$ 330,00 para outros profissionais.Clique AQUI para acessar o site do evento.

 

A palestra central irá abordar “Previdência e Assistência Social como instrumento para a redução da desigualdade no Brasil”, assunto apresentado pelo economista Milko Matijascic, técnico em Planejamento e Pesquisa no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA); e discutido pelos economistas Roberto Piscitelli (UnB) e Rogério Nagamine Costanzi (IPEA).

 

O primeiro dia (31/08) do Simpósio, com início às 19h, será marcado pela solenidade de abertura, tendo presença dos economistas Ricardo Valério, presidente do Conselho Regional de Economia do Rio Grande do Norte (CORECON - RN); Júlio Miragaya, presidente do Conselho Federal de Economia (Cofecon); Manuel Enriquez, presidente da Ordem dos Economistas do Brasil (OEB); Juarez Trevisan, presidente da Federação Nacional dos Economistas (FENECON); e demais autoridades convidadas. Na solenidade está prevista a entrega do XXII Prêmio Brasil de Economia e Destaque Econômico do Ano 2015, além da apresentação do XXII Congresso Brasileiro de Economia (CBE), a ser realizado em Belo Horizonte (MG), em 2017.

 

Nos demais dias do Congresso, mesas de debates sobre Estrutura e Conjuntura Econômica, Política e Social do Brasil; Aperfeiçoamento do Sistema Cofecon/Corecons; e Formação, Aperfeiçoamento Profissional e Mercado de Trabalho do Economista. Nesta edição, entra, de forma inédita o painel “A Mulher Economista no Mercado de Trabalho e nas Entidades Profissionais’’, coordenada pela conselheira Bianca Lopes (CORECON-RO). O presidente do CORECON-RN, Ricardo Valério esclarece: “É importante e satisfatório tratar sobre este tema e fico imensamente feliz por sermos a primeira cidade sede do Simpósio a debatê-lo. É inaceitável que, em pleno século XXI, a mulher, em sua realidade, trabalhe de igual para igual e receba um salário inferior ao do homem devido o gênero”.

 

Em paralelo ao Simpósio, acontece a etapa final da VI Gincana Nacional de Economia, realizada anualmente pelo Cofecon. Por meio de um jogo virtual, os participantes se deparam com um problema econômico e devem solucioná-lo usando conhecimento, estratégia e uma pitada de sorte. Cada carta do jogo representa uma decisão macroeconômica, que pode ter consequências como aumento da inflação ou recessão. Cada partida é realizada em três etapas, com objetivos diferentes. Ganha quem vencer duas delas. Ao todo, serão distribuídos R$ 7.200 em prêmios às melhores duplas classificadas.

 

Serviço

XXV Simpósio Nacional dos Conselhos de Economia

Data: 31/08 a 03/09

Local: Praiamar Natal Hotel & Convention

Informações, inscrições e programação completa em http://www.corecon-rn.org.br/since/

 


 

* Assessora de Imprensa do Cofecon

(61) 3208-1803/ (61) 3208-1806

Os vencedores do XXII Prêmio Brasil de Economia já foram definidos pela Comissão Avaliadora, composta por 15 professores doutores. O número total de trabalhos inscritos nesta edição foi 88, considerando todas as categorias, o que representa um recorde para a premiação. Os economistas e estudantes de Economia classificados em 1º, 2º e 3º lugar serão premiados no dia 31 de agosto durante o XXV Simpósio Nacional dos Conselhos de Economia (SINCE), a ser realizado em Natal, Rio Grande do Norte.

Para comemorar os 65 anos da profissão no Brasil, o Conselho Federal de Economia (Cofecon) e o Conselho Regional de Economia do Distrito Federal (Corecon-DF) homenagearam dois ex-presidentes: Dércio Garcia Munhoz (1986) e José Luiz Pagnussat (1996). Ambos receberam uma placa de reconhecimento pelos trabalhos desenvolvidos à frente da autarquia; Munhoz também foi agraciado com o título de Economista Emérito do Corecon-DF. A solenidade ocorreu em Brasília, na sede do Cofecon. O presidente do Cofecon, Júlio Miragaya, afirmou que o reconhecimento é uma forma de homenagear todos os economistas do Brasil.

Está no ar o site www.votaeconomista.org.br, onde serão realizadas as eleições para membros dos Conselhos Regionais de Economia e Delegados Eleitores do Sistema Cofecon/ Corecons. Já estão disponíveis o regulamento, calendário e uma lista com respostas às dúvidas mais frequentes. A votação terá início no dia 27 de outubro às 8h e seguirá até às 20h do dia 31 de outubro. Pela primeira vez, será feita de forma eletrônica em todo o País.

A senha para votação no site será enviada via correspondência a todos os economistas regularizados. No website é permitido alterá-la ou recuperá-la. Nesse último caso, será necessário informar CPF para localização do registro profissional e a senha provisória será enviada por e-mail ou para o telefone celular cadastrado na base de dados do Colégio Eleitoral.

Os requisitos para votação são os seguintes: é preciso estar devidamente registrado no Conselho Regional de Economia do seu estado e adimplente com as anuidades e débitos de qualquer natureza perante o Regional, até cinco dias antes do início das eleições. Vale lembrar que a participação não é obrigatória, mas nem todos os profissionais estão aptos a votar.

A eleição eletrônica é totalmente segura, auditada por auditores externos, o que legitima o processo e o torna mais democrático, fortalecendo a representatividade da categoria.

Participe e exerça o seu direito ao voto!


* Assessora de imprensa do Cofecon

(61) 3208-1803/ (61) 3208-1806

Hide Main content block

Notas Oficiais

NOTA DE CONJUNTURA SOBRE A POLÍTICA MACROECONÔMICA BRASILEIRA
Passados 50 dias de governo interino, já é possível identificar os rumos propostos para a superação da grave crise econômica vivida pelo País, razão ... Leia mais

Artigos

Falácias sobre o ajuste fiscal
Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, o economista Fernando Aquino discorre sobre quatro falácias relacionadas ao ajuste fiscal. Leia mais